08.05.2019

Combate ao trabalho escravo: de onde vêm as roupas que você vende?

Recentemente aconteceu a semana do Fashion Revolution, o movimento foi criado após um conselho global de

profissionais da moda se sensibilizar com o desabamento do edifício Rana Plaza em Bangladesh,

que causou a morte de 1.134 trabalhadores da indústria de confecção e deixou mais de 2.500 feridos.

A tragédia aconteceu no dia 24 de abril de 2013, e as vítimas  trabalhavam para marcas globais,

em condições análogas à escravidão. (https://www.fashionrevolution.org/south-america/brazil/)

Você já parou para pensar onde são produzidas as roupas que você compra?

De fato podemos estar contribuindo para o trabalho escravo sem perceber.

Muitas vezes, somos conduzimos a comprar pela marca x preço.

Muitas marcas famosas, utilizam-se de trabalho escravo para se tornarem mais competitivos no mercado.

A fim de mudar esse cenário e certificar de que não estamos contribuindo,

o ideal é conhecer a origem de suas roupas.

 Combate ao trabalho escravo na moda

Certamente seria ótimo se todas as lojas de roupas lutassem contra o trabalho escravo na moda,

assim esse cenário poderia acabar.

Afinal é nosso dever como pessoas contribuir para o fim desse quadro.

Mas quando digo contribuir não estou dizendo bancar o auditor fiscal, é possível contribuir de forma simples.

Se você é lojista, comece tentando identificar a origem das roupas que você revende em sua loja.

Se você é consumidor final, busque informações sobre moda e o trabalho escravo,

tem muita informação na internet sobre o assunto.

 

Eu compro as roupas com um fornecedor, e agora?

Para quem compra com o fornecedor é preciso conhecer a origem das roupas, ou seja,

com quem o seu fornecedor consegue as roupas.

Talvez ele também esteja contribuindo com o trabalho escravo na moda, sabendo ou não,

mas o foco aqui é impedir que você contribua com esse cenário.

Como reconhecer a origem das roupas e impedir o trabalho escravo?

trabalho escravo

Separamos para você algumas dicas relevantes de como reconhecer o

trabalho escravo na moda e impedir esse cenário, ou seja, não contribuir.

Nossas dicas são simples, você terá que fazer o seguinte:

Se você é lojista, converse com o fornecedor

Converse com o seu fornecedor sobre a origem das roupas que ele está te vendendo,

pergunte quem confecciona ou onde ele compra.

Talvez em sua resposta a denuncia já esteja clara, pois ele poderá citar trabalhadores

imigrantes ilegais ou condições ruins.

Se possível pegue o nome do empreendimento que fornece as roupas a ele, assim você conseguirá os detalhes.

Pesquise sobre a marca

Pesquise na internet onde se localizam as unidades, opiniões dos trabalhadores, site da empresa,

se está na lista negra de empresas com trabalho escravo, etc.

Assim você poderá ficar informado usando a internet, afinal na própria internet

encontramos a lista de empresas que sustentam a mão de obra escrava.

Se possível conheça também as unidades de produção e trabalhadores.

Caso você identifique e tenha certeza do trabalho escravo, denuncie discando 100.

Essas foram as dicas da Chopper Jeans para impedir o trabalho explorador na moda, contribua você também.

 

Quer se tornar um lojista de nossos produtos? Então clique aqui para saber mais.

trabalho analogo a escravidão

voltar